LBC faz Trilha da Paixão e percorre caminho da Via Sacra de Limoeiro



E aí galera blz, hoje (18/04, sexta-feira-Santa) tivemos mais uma diário de bordo do LBC em uma edição extra. Nossa trilha de hoje foi a Trilha da Paixão, onde percorremos o caminho da Via Sacra realizada pelas Matrizes de Nossa Senhora da Apresentação e do Alto de São Sebastião. Nos reunimos na Praça da Bandeira e seguimos rumo a Rua Frei Estevão para subir a ladeira da via cruz, ladeira esta que é temida por muitos por conta de sua envergadura. A subida se deu em dois grupos; O 1º que contornou ela por completo desde a ponta até o rabo e a 2ª que fez da ponta até a metade e depois foi empurrando. Ainda chegamos a acompanhar a Via Sacra das duas igrejas. Nossa chega até o Morro do Redentor foi tranquila e lá paramos para tirar algumas fotos e depois seguimos a descida de Zé da Lona que nos dá acesso a PE90. A descida é até boa, mas de uns tempo para cá vem tendo bastante pedras soltas atrapalhando o desempenho dos ciclistas, sem falar que na em tempo de Via Sacra o povo indo e vindo é mais obstaculo a ser desviado pelos cilista do LBC. 

A chega até embaixo foi tranquila e lá paramo alguns minutos para que todo o grupo volta-se a se reunir. Com todos juntos novamente seguimos rumo a barraca da Tapioca. Apenas Wilker e Buregio resolveram ir mais cedo para casa e não nos acompanharam neste café da manhã. Para quem pensou que iriamos falar de macaxeira, cuscuz e outras coisas se enganou, pois o cardápio de hoje foi refrigerante com tapioca. Para quem não sabe, tapioca é uma tipica comida feita a base de coco que é muito vendida em nossa região. Saboreamos diversos sabores e após nos fartamos de boa comida seguimos rumo a entrada de Limoeiro para de lá seguirmos rumo as nossas casas. A trilha de hoje foi super rápida e muito leve. Certa vez um pároco de nossa cidade havia falado que se fizéssemos esta caminhada da semana santa nossos pecados estariam sendo perdoado e para demostrar nossa fé em Jesus Ressuscitado, nos a fazemos de bom gosto e fé. Devido a esta trilha extra e domingo ser de páscoa só iremos pedalar no domingo (27/04). Para todos uma boa Páscoa e um bom final de semana. Até lá com mais um diário de bordo do LBC. Confira as fotos...















LBC aporta em Aldeia e faz uma trilha de tirar o chapéu com amigos.



Mais um domingo na linha do tempo do LBC  este ficou marcado na história do Clube com um dos mais legais de 2014. A trilha de hoje foi mais que especial, pois a equipe de cilista foi agraciada com uma trilha rumo a Aldeia em Camaragibe-PE. Vamos relatar em nosso diário de hoje (13/04) como foi nossa trilha rumo ao desconhecido. Nosso dia começou coma  arrumação das bikes na carroça para podermos seguir viagem até o posto Ypiranga em Aldeia. Saímos por volta das 05 horas e 30 minutos em dois carros de passeio rumo a PE-90 e BR-408. A ida foi bastante legal e sem transtorno, afinal a galera estava feliz por conhecer um novo local e desbravar uma nova terra, igual fez o Cabral a descobrir nossas índias e suas aldeias. Muitas resenhas via Whatsaap eram compartilhadas para ajudara  a passar o tempo e muitas paisagem nos eram oferecidas por Deus em nosso inicio de dia. Na PE-16 o FIAT de Jair deu o creu e parou no meio da ladeira, afinal o bicho tava puxando a carroça com as bikes, 4 ciclistas e ainda um bloco de concreto colocado nas entocas por Poline Silva para aperrear Jair. Nesta parada meio que obrigatória o Gordo (nosso garageiro) aproveitou a parada para demarcar o terreno e na primeira moita que ele avistou foi logo dar aquela bela de uma cagada. O nosso garageiro levou um susto danado, o bicho quase caiu em um buraco enorme e ficando sujeito a ficar todo melado de merda. Agora imaginem a cena; A gente tendo que descer do carro para ir socorrer o cagão no buraco.

Após este pequeno e humorístico fato seguimos rumo ao Ypiranga em Aldeia. Um fato que não poderia ficar de fora foi um ciclista que não sabemos de onde é ter subido a ladeira que o carro morreu e não subiu. O cara foi "fodastico" e subiu toda ladeira com um vigor de fazer inveja. As barras de cereais ajudaram a amenizar a fome do amanhecer e o caminho após a ladeira foi o que nos restou depois de caminhar uma parte da subida. Já no posto Ypiranga foi hora de desmontar o circo e encontrar nossos novos amigos guias. Após as bikes no chão e tudo pronto, seguimos por mata fechada rumo a lagoa de água represada. Logo de cara um lamaçal a nos convidar e foi por ele que demos inicio ao ritual de adrenalina que rege toda e qualquer trilha. Lama a mais de meio metro e bike derrapando no chão foi a prova de que estávamos apenas começando nossa festa. As conversas mole dos domingos não tiveram muita vez por aqui, afinal a meta era pedalar e foi o que fizemos durante toda a trilha. As paradas relâmpagos nos deram a oportunidade de curtir mais a adrenalina que a trilha exigia. Mata fechada, canto dos pássaros, subidas, descidas e alguns obstáculos fizeram parte de nosso trajeto. Com clima agradável seguimos rumo ao lago ou algo do tipo para tomar aquele banho bem refrescante em uma água bastante fria e cristalina. Não demoramos muito no banho, afinal ainda teríamos de voltar para o posto para seguirmos viagem me busca de comida, pois pedalar exige ao máximo dos ciclistas e só um café reforçado para currar o cansaço.

Chegamos (voltamos) ao posto Ypiranga novamente e lá encontramos um chuveirão que com sua água doce fez a festa dos bikeiros já cansados de tanto subir e descer ladeiras. Realizamos o percurso bem e sem a fadiga que consome a todos como em outras trilhas mais exaustivas. Depois de tudo arrumado, bikes em seus devidos lugares e tijolo colocado no porta mala do carro de Jair (mais uma obra de Poline Silva) saímos em busca de um bom restaurante a um preço convidativo. Nossa busca não demorou muito e por conta dos altos preços decidimos comer em Campo Alegre, afinal a comida de lá é boa e barata. Nossa volta até Campo Alegre foi bastante produtiva e o que ficou e evidencia foi as belezas naturais que vimos em nossa trilha de hoje. Ao chegarmos no Bar do Rai a receptividade foi das melhores e a comida nem se fala. Comemos de tudo um pouco e após nos fartarmos de boa comida, pagar a conta, seguimos a rumo a Princesa do Capibaribe com a sensação de dever cumprido e tarefa realizada. Nesta trilha fomos em nove membros (Augusto, Bartolomeu, Edivaldo (gordo), Jair, João, Léo, Márcio, Poline e Wilker). Aportamos na casa de Augusto, local onde preparamos as bikes para voltar cada qual para seu lugar. Assim foi nossa trilha de hoje com bastante adrenalina. Desejamos a todos uma boa semana e até domingo que vem com mais uma trilha do LBC. A trilha em Aldeia teve um total de 30 KM bem distribuídos. Confira mais fotos neste LINK AQUI




















LBC faz trilha regada a muitas descida e adrenalina a mil


Olá galera venho por meio desta nota informa que não teve trilha do LBC neste dia (06/04) devido a morte de José Wilker, mas conhecido como Zé Wilker, que não era membro do LBC, mas era pernambucano de coração. Com relação a nosso bikeiro +Jose Wilker , informamos que ele esta bem, apenas afastado das trilhas por conta de seu curso de bombeiro. A homenagem foi justa e queríamos mesclar o 1º de Abril com a morte de José Wilker (autor Global), mas pelo visto a mistura foi meio infame e acabou que não deu muito certo, mas mesmo assim fica registrado nosso apreço pelo ator da Globo. Nossa trilha foi decidida na hora como caldo de cana e o local foi traçado sem a ajuda do GPS, afinal nossos desbravadores já sabem de có e sorteado. Nosso trajeto foi o seguinte; Duas pedras, Serra do Parari, Bom Sucesso de Cima, Vila Mendes, Lagoa Cumprida, Guabirabinha, os Coqueiros e por ultimo volta Limoeiro. Seguimos como sempre do mesmo ponto de partida rumo a Duas pedras e depois passando pela Serra do Parari com muita força de vontade. 

A tiração de onda foi inevitável e todos os membros trouxeram muita alegria e disposição para mais um pedal do Limoeiro Bike Clube. As ladeiras foram inevitáveis e entre subidas e descidas nos divertamos com uma boa conversa jogada fora. Da Serra do Parari para o comunidade rural Bom Sucesso de Cima foi um pulo e rapidamente chegamos nela, mas rápido mesmo foi nossa chegada à Vila Mendes que nos proporcionou momento de descanso na Pracinha da comunidade. A parada do cafe da manhã foi indispensável e após nos reabastecer a base de cuscuz, macaxeira, arroz, carne de boi guisada, carne de sol, galinha guisada e refrigerante schin, seguimos rumo a Lagoa Cumprida e Guabirabinha. Sem deixar a conversa de lado pedalamos firme e forte rumo a comunidade rural dos Coqueiros que já praticamente próximo ao centro urbano. Nossa chegada se deu por volta das 09 horas e assim cumprimos nossa meta que foi estabelecida. Esta meta visa pedalar cedo e chegar cedo também para que possamos apreciar o resto do domingo ao lado de nossos familiares. Agradecemos a todos que sempre dedicam um pouco do tempo que dispõem para ler nosso Diário de bordo. Boa semana a todos e até o próximo domingo.

Confira mais fotos































 
Copyright © 2013 Limoeiro Bike Clube